A VIDA DE DAVID GALE:POR TRÁS DAS APARÊNCIAS

[...] Foi oferecido, porque ele mesmo quis, e não abriu a boca. Ele será levado como uma ovelha ao matadouro, e como um cordeiro diante do que tosquia emudecerá, e não abrirá a sua boca.
(Isaías 53:7)
Não há uma só verdade, só pontos de vista”

A Vida de David Gale (The Life of David Gale) é uma coprodução norte-americana, alemã e inglesa, de 2003, onde David Gale (Kevin Spacey) é um professor de Filosofia socialmente privilegiado, acadêmico inteligente, culto, homem exemplar, além de tudo isto é casado com uma linda mulher, filha de uma rica família do Texas. Porém, o intelectual tem uma opinião discordante da maioria dos abonados de seu estado, Gale é contra a pena de morte, num estado conservador, onde a elite dita as regras de pensamento, como em qualquer sociedade organizada.

Gale, filósofo formado pela prestigiada universidade Harvard, tem tudo, menos sintonia com a opinião predominante em seu estado natal, onde quem não está de acordo com o modo de vida conservador, leia-se republicano, do estado dominado pelo clã Bush, está fora dos padrões.
Gale é democrata, o que o faz um elemento suspeito em seu estado, ainda mais em se tratando de um ativista contra a pena de morte, uma postura nada popular entre a elite intelectual texana. Outro elemento desabonador da conduta de David Gale em relação à elite da qual faz parte é que se trata de um homem movido por ideais e não pela ganância desmedida por bens materiais. Gale está disposto a sacrificar a própria vida para provar seu ponto de vista.

Após um escândalo onde sua reputação fica irremediavelmente comprometida perante a elite que o bajulava, Gale passa de privilegiado a rejeitado da noite para o dia. Como em uma cruel ironia, Gale passa de crítico da pena de morte a candidato a vítima dela. Resta a Bitsey Bloom (Kate Winslet), em uma frenética corrida contra o tempo, limpar seu nome e salvá-lo da execução. Bitsey terá de lutar não só contra um sistema tradicional, mas contra toda uma concepção de mundo.
Bitsey vê-se subitamente enredada em uma teia de conspiração, mistério, sexo e morte, onde há elementos que beiram o surreal, como um caubói misterioso que a persegue, uma organização que é capaz de tudo por seus ideais, uma femme fatale destruidora de homens, paradoxalmente, também há figuras altruístas, capazes de se doarem de corpo e alma sem hesitar à causa que abraçaram.
Gale está à beira da execução quando propõe à News Magazine Inc., revista onde Bitsey trabalha, que concederá três entrevistas à repórter se a publicação pagar a seu advogado a quantia de US$ 500.000.
Gale revela a Bitsey os fatos que culminaram com sua prisão e ao mesmo tempo a manipula para que esta limpe sua imagem manchada pelos escândalos em que se viu envolvido. Seu verdadeiro objetivo é transmitir seu legado ao filho e se desculpar com sua ex-esposa.
O acadêmico serenamente aceita seu melancólico destino e permite que o executem sem arrependimentos, mas ao final seu saldo é positivo, pois alcançou seus objetivos e provou que uma morte honrosa pode ser mais vantajosa do que uma vida longa em meio à mediocridade que o cercava.
O filme tem início com a repórter Elizabeth “Bitsey” Bloom em uma corrida desesperada (a pé) por uma estrada do interior dos EUA, após o sedã alugado que dirigia apresentar defeito e o motor superaquecer. O motivo da atitude desvairada só será revelado posteriormente na narrativa. O filme inicia pelo fim e retrocede para explicar como o enredo chegou àquele grau de tensão da cena acima citada.
Agora o foco é Nova Iorque, em uma redação de uma revista local, a News Magazine Inc., a editora Barbara Kreuster (Cleo King) está assistindo ao noticiário sobre o caso David Gale pela televisão. A notícia apresenta os fatos que incriminam Gale, fala também de sua militância contra a pena de morte, de sua amizade com Constance Harraway (Laura Linney), sua suposta vítima, ambos professores da Universidade de Austin, no Texas.
A repórter contextualiza a notícia citando também a ONG Death Watch, onde David e Constance atuavam. A editora fala ao telefone, ela diz a seu ouvinte sobre o acordo firmado entre Gale e a revista, onde, pelo valor de US$ 500.000 seriam concedidas três entrevistas exclusivas para Bitsey em três dias diferentes, duas horas de entrevista a cada dia. Seriam na última semana de vida de Gale, a primeira na terça, outra na quarta e a última na quinta-feira. Na sexta seria a execução do condenado.
Bitsey é informada sobre o trato pela editora, então as duas entram na sala do editor-chefe Joe Mullarkey (Lee Ritchey). É revelado que Bitsey estivera presa por se recusar a dar os nomes de suas fontes para as autoridades em uma reportagem sobre pornografia infantil. O chefe de Bitsey impõe que ela leve um estagiário consigo para o Texas.
Já na rodovia que leva a Huntsville, Bitsey e Zack Stemmons (Gabriel Mann), o estagiário designado para acompanhá-la, discutem o caso. Zack adota uma postura favorável à inocência de Gale, Bitsey acredita que ele é culpado. Zack é um esquerdista convicto. É revelado que David foi o primeiro de sua turma em Harvard, bolsista em Oxford e que tem dois livros publicados. Também é revelado que a ex-esposa de David, Sharon Gale (Elizabeth Gast), tem um pai embaixador na Espanha.
À noite, a dupla estaciona no acostamento, Zack vai urinar, deixando Bitsey só. Ela se assusta com a picape que estaciona próxima, ela chama por Zack. Este aparece, fazendo com que o motorista da misteriosa picape dê a partida em seu veículo e se afaste ao som de ópera.
1° dia de entrevista
Na manhã seguinte, Zack e Bitsey vão tomar o café da manhã em uma lanchonete, lá eles conversam, Zack comenta que David está preso num lugar chamado Unidade Ellis. A unidade fica a 15 minutos da cidade. Bitsey pede um café.

Depois eles pegam seu automóvel alugado e deixam a lanchonete. Eis um diálogo interessante entre os dois personagens, Bitsey diz: “Onde há protestantes, há mais igrejas do que lanchonetes.”
Zack responde: “E há mais prisões do que lanchonetes”
Eles chegam à Unidade Ellis – Texas. Departamento Correcional, como indica a placa da entrada do local. Os dois pegam seus crachás na entrada.
Na sala de espera há a seguinte frase: “Nenhum prisioneiro sairá”. São conduzidos a outra sala, onde encontra-se Duke Grover (Jim Beaver), relações públicas da penitenciária Huntsville. Ele informa que há 442 criminosos na Unidade Ellis (corredor da morte), e esperam nove anos pela execução. David está lá desde 1994.
A dupla é apresentada ao Dr. Belyeu, advogado de Gale. Braxton Belyeu (Leon Rippy) é seu nome completo. Bitsey encontra-se pela primeira vez com Gale. Belyeu transmite as regras a Bitsey: as entrevistas serão sempre às 15h, nada de gravadores, ela deverá passar no escritório de Belyeu e assinar alguns documentos posteriormente.
Gale adverte Bitsey que nunca faça perguntas sobre sua ex-mulher ou seu filho. Ela lhe diz que sempre que um assunto o deixar desconfortável, ele deverá dizer “segredo”. David inicia sua narrativa, iniciam os flashbacks, ele diz que se tornou chefe do departamento de filosofia da Universidade de Austin.
David está dando uma aula, ele diz: “Entendem a ideia de Lacan? As fantasias têm de ser irreais. Porque no momento, no segundo que consegue o que quer não quer, não pode querer mais. Para poder continuar a existir o desejo tem de ter os objetos eternamente ausentes. Vocês não querem ‘algo’, querem a fantasia desse ‘algo’. O desejo apoia fantasias desvairadas".

Neste momento a jovem e bela estudante Berlin (Rhona Mitra) irrompe na sala, atrasada, tirando a concentração de David. Ele retoma sua explanação: “Foi essa a ideia de Pascal ao dizer que somos realmente felizes quando sonhamos acordados com a felicidade futura. Daí o ditado: ‘O melhor da festa é esperar por ela’. Ou: ‘Cuidado com seus desejos’. Não pelo fato de conseguir o que quer... mas pelo fato de não querer mais depois de conseguir. Então, a lição de Lacan é: viver de desejos não traz a felicidade. O verdadeiro significado de ser humano é a luta para viver por ideias e ideais. E não medir a vida pelo que obtiveram em termos de desejos, mas pelos momentos de integridade, compaixão, racionalidade e até auto sacrifício. Porque no final a única forma de medir o significado de nossas vidas é valorizando a vida dos outros”.
Ao término da aula, Berlin vai conversar com David. Ela tenta seduzi-lo em troca de boas notas, já que se trata de uma aluna relapsa. Ela diz: “Sou capaz de qualquer coisa para passar”.
David responde: “Terá uma nota excelente se você... estudar”.
David encontra Constance nos corredores da universidade. Eles discutem sobre a causa que defendem, a extinção da pena capital. David irá participar de um debate televisivo com o governador Hardin (Michael Crabtree), um político reacionário e favorável à pena de morte no dia seguinte. Ele diz à amiga que irá a uma festa com estudantes e professores esta noite.
Antes de sair para a festa, David conversa com Jamie, seu filho pequeno, é revelado que a mãe do garoto está na Espanha. David põe a criança para dormir e sai para a festa. Ao som de The Future, de Leonard Cohen (cantor e compositor canadense), a festa acontece em uma grande propriedade. Um professor amigo de David lhe revela que Berlin fora expulsa da universidade, ela interrompe a conversa. O colega de David os deixa a sós. Ela volta a flertar com David.
David vai ao banheiro e é abordado por Berlin dentro do recinto. Eles fazem sexo dentro do banheiro.
Na manhã seguinte, David e Constance preparam o que David dirá no debate com o governador do Texas. David revela que traiu sua esposa durante a festa com Berlin. Constance se irrita e vai embora. Antes de ir, ela diz: “Ocorrem 17 mil assassinatos por ano nos Estados Unidos. Os 10 estados que aboliram a pena de morte têm uma taxa de assassinato abaixo da média nacional. Se ele meter religião no meio, só diga que quase todas as denominações no país se opõem à pena de morte”
Mais tarde, durante o debate no programa Cara a Cara (Batter’s Box), com mediação do apresentador Alan Fruella, David é apresentado como o co-diretor regional da Death Watch. Durante o debate contra o governador Hardin são citados: a Bíblia, Gandhi, Churchill e Hitler.
(...) Por outro lado, muitos políticos apoiam a pena de morte apenas para conseguirem mais votos; eles sabem que os eleitores desinformados e receosos pelos níveis de violência são entusiastas de pena capital.” MARTINS, Francisco. DIREITOS HUMANOS: PENA DE MORTE. Disponível em:
<
http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/filosofia/filosofia_trabalhos/penademorte.htm>.
Acesso em: (25/10/2013)
Ao final, fica comprovado que só um mártir poderia redimir um sistema falho. Logo após o debate, David é preso sob a falsa acusação de ter estuprado Berlin. Termina o primeiro dia de entrevista e o primeiro flashback.
Durante a noite, Bitsey e Zack debatem sobre a acusação de estupro feita por Berlin, Bitsey diz: “Não há uma verdade, só pontos de vista.” Eles entram no veículo alugado, o caubói da picape misteriosa reaparece. Ele os observa nas sombras.
2° dia de entrevista
A dupla vai à casa de Constance, onde se deu o suposto assassinato. A guia os instrui sobre como se deu o fato, ela diz que Constance foi algemada nua, um saco foi colocado em sua cabeça, a impedindo de respirar e a chave das algemas foi encontrada em seu estômago. Pouco depois, eles reveem o caubói.
Na penitenciária, David explica que Constance foi morta pelo Método Securitate, onde a pessoa é algemada e forçada a engolir a chave que a libertaria, a boca é selada com fita adesiva, um saco é lacrado na cabeça, tornando-a completamente indefesa perante seus carrascos, à mercê deles. O condenado revela que já mencionou o método em um de seus artigos.

Em novo flashback, David se despede de Jamie, seu filho, e de sua esposa, que o está abandonando. Jamie dá ao pai Cloud Dog, seu carneiro de pelúcia. Sharon diz a David que dê uma olhada no e-mail que ela lhe mandou. David vai ao computador e descobre que ela quer o divórcio e pôs a residência do casal à venda, devido às duas semanas que David passou preso, tendo sido libertado após Berlin retirar a acusação de estupro, deixando-o livre, mas com a integridade moral comprometida perante a comunidade acadêmica e a sociedade. David torna-se alcoólatra. Em seguida, perde o emprego e os amigos, exceto Constance, que lhe permaneceu fiel.
David vai morar na periferia. Devido ao escândalo, passa a ter sérias dificuldades para conseguir outro emprego. David inicia uma batalha judicial contra Sharon, que agora mora na Espanha, para rever o filho. Ele pensa em sequestrar Jamie e é aconselhado por Belyeu a tratar do alcoolismo. Ele passa a frequentar o Alcoólicos Anônimos. O ex-professor consegue um emprego e quando vai contar a novidade à Constance, percebe um estranho hematoma no braço da amiga. Depois ele constata que ela está com febre.
Pouco depois, Gale é discriminado por uma ex-aluna e dispensado da Death Watch, então se irrita e sai em seu carro descontrolado emocionalmente. David volta à casa de Constance. Ele está com Cloud Dog. Constance desmaia, David a leva ao hospital e é informado por uma médica que sua amiga tem leucemia. Fim do segundo flashback e do segundo dia de entrevista.
Bitsey descobre através de Zack que Belyeu é um advogado incompetente e que David poderia ter pego prisão perpétua se Belyeu fosse mais capaz. Zack diz que vai pegar o dinheiro exigido por David para conceder as entrevistas na cidade de Houston. Eles chegam ao motel onde estão hospedados já com a maleta com os US$ 500.000 em mãos. Bitsey descobre que seu quarto foi arrombado.
Eles descobrem uma fita de videocassete presa ao teto do quarto. Ela está endereçada a Bitsey, ela coloca a fita no aparelho. Na fita há um vídeo da morte de Constance.
Terceiro e último dia de entrevista
Bitsey e Zack discutem sobre a possibilidade da direita (os republicanos) ter armado uma conspiração para incriminar David. O caubói começa a seguir o sedã de Bitsey e Zack. Ele desaparece antes que Zack anote a placa de sua picape.
Bitsey leva a fita para Belyeu, ele sugere que poderia ser uma falsificação.
A execução é marcada para as 18h do dia seguinte. Belyeu sugere também que o tribunal poderia alegar que o próprio David havia enviado a fita à Bitsey para manipulá-la e conseguir um adiamento de sua execução.
Bitsey vê o caubói misterioso entrando no elevador do prédio do qual ela acabara de sair. Ele está se dirigindo ao escritório de Belyeu. Isto lhe causa estranheza. Zack passa a seguir o caubói após este deixar o prédio. O caubói consegue despistá-lo.
Bitsey passa a suspeitar que está sendo manipulada por David. Na penitenciária, ele conta que o nome do caubói é Dusty, ou Dustin, Emil Wright (Matt Craven) e que este era muito próximo de Constance, Dusty havia testemunhado no tribunal contra David, talvez por represália devido ao suposto crime contra sua amiga.
David revela que se envolveu com Constance antes desta morrer. Novo flashback, Constance discursa para uma multidão de companheiros da Death Watch: “Quando você mata alguém, rouba sua família. Não somente de um ente querido, mas também de sua humanidade. Enrijece o coração da família com ódio. Você rouba dela o poder de objetividade civilizada, os condena à sede de vingança. É algo horrível e cruel. Mas ceder a esse ódio nunca será a solução. O dano estará feito e mesmo depois da vingança, continuamos sedentos. Saímos da casa da morte dizendo que a injeção letal foi boa demais para o condenado. No final, uma sociedade civilizada deve viver com a dura verdade. Quem busca vingança, cava sepulturas.”

À noite, na casa de Constance, David e ela conversam. Ela fala sobre os Estágios de Kübler-Ross, pelos quais todos os doentes terminais passam: raiva, negação, negociação, depressão, aceitação. David a seduz e eles fazem sexo. Constance se despe de sua imagem de mulher forte e revela sua fragilidade para David.
David é novamente preso, desta vez acusado da morte de Constance.
Bitsey passa suspeitar de Dusty, seria ele o assassino de Constance e teria incriminado David? Este revela a Bitsey que não há mais tempo para salvá-lo, apenas pede que ela limpe seu nome diante de seu filho.
Após escurecer, Bitsey pergunta a Belyeu se Constance e Dustin eram amantes, ele diz que existem boatos apenas.
4° dia – dia da execução
David é levado para o local onde ocorrerá a execução por injeção letal. Após ter passado a noite trabalhando no caso, Bitsey desperta pela manhã. Ela e Zack pegam a TV e o videocassete do quarto de Bitsey e vão a Austin para o local onde se deu a morte de Constance para reencenar sua morte. Bitsey assume o papel de Constance na reconstituição, arriscando a própria vida.
Ela descobre que Constance havia cometido suicídio e que queria provar que um inocente (Gale) poderia ser condenado pelo sistema penal norte-americano. A repórter e Zack chegam à conclusão que Dusty fora quem lhe enviara a cópia da fita de vídeo.
Ela e Zack vão à residência de Dustin em busca de provas. Eles armam um plano para enganar Dustin e recolher as provas necessárias para libertar Gale, que seria a fita original. Zack liga para Dustin e marca um encontro para afastá-lo de casa, enquanto Bitsey entra na residência do fundamentalista e pega a fita original.
O relações públicas da prisão diz aos jornalistas que as execuções no Texas acontecem às 18h, neste momento são 17h05. Duke Grover, o relações públicas, dá um comunicado à imprensa, ele diz: “[...] após dizer as últimas palavras, a injeção será aplicada... tiopental sódico usado como sedativo... faz a pessoa dormir... brometo de pancurônio... para paralisar o diafragma e os pulmões. Cloreto de potássio para parar o coração. O custo total do coquetel de drogas para o Texas é de aproximadamente U$ 86,08 por execução”.
Dusty deixa sua moradia para se encontrar com Zack. Bitsey invade a casa do caubói. Ela encontra o que procurava. A fita mostra o suicídio e seus preparativos. Dustin aparece no vídeo. Zack surge na casa do caubói e assusta Bitsey, os dois deixam o local com a fita, enquanto Dusty os observa de longe. Ele sorri satisfeito.
Eles correm contra o tempo para interromper a execução, faltam oito minutos. Zack sai do sedã para ligar para o governador do Texas para suspender a execução. Bitsey lhe pede que ligue também para o carcereiro, para Nova Iorque e para o Supremo Tribunal.
Os carcereiros levam Gale para seu último banho. Bitsey dirigia para Huntsville quando o motor do carro alugado superaqueceu, forçando-a a seguir o resto do caminho até a penitenciária correndo (cena exibida no início do filme). Ela tenta pegar carona em uma camionete, mas o motorista se nega a apanhá-la.

Há uma manifestação nos arredores da prisão. Há um grande alvoroço no local, 50% dos manifestantes é contra e a outra metade é a favor da execução.
Para desespero de Bitsey, às 18h18 o relações públicas Duke Grover informa oficialmente a morte do condenado. Ele diz que David foi declarado morto às 18h12, amarrado à maca às 18h02. Não houve nenhum discurso de Gale e nem a presença dos familiares de Constance. E não haverá declarações dos mesmos após a execução.
A pena de morte garante que os condenados não repetirão os crimes que os levaram à execução, mas, ao contrário das penas de prisão, a pena de morte tem como risco o facto de os erros judiciais não poderem nunca ser corrigidos. Haverá sempre o risco de executar inocentes. MARTINS, Francisco. DIREITOS HUMANOS: PENA DE MORTE. Disponível em:
<
http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/filosofia/filosofia_trabalhos/penademorte.htm>.
Acesso em: (25/10/2013)
Dusty foge para evitar complicações com a justiça por ter auxiliado no suicídio de sua amiga. Bitsey libera a fita de vídeo para a imprensa de todo o país. Repórteres e polícia invadem a casa de Dusty à procura de mais provas. Os repórteres revelam o preconceito dos norte-americanos, segundo pesquisas, negros e latinos são cinco vezes mais propensos à condenação à pena de morte do que homens brancos, como Gale.
Dusty se encontra com Belyeu em um banheiro de aeroporto, é revelada a conspiração da Death Watch para provar que a pena de morte é falha. Belyeu fazia parte da Death Watch e fora indicado para defender David com a intenção de perder o caso e levá-lo à execução, com o devido consentimento do acusado.
Belyeu entrega uma maleta com dinheiro, passaporte e um bilhete a Dustin. Dusty vai até a Espanha e deixa os US$ 500.000 na porta da residência de Sharon.
Bitsey recebe em seu trabalho uma caixa pelo correio. Dentro está Cloud Dog, o carneiro de pelúcia do filho de David. Dentro do brinquedo há a fita que prova que David ajudara no suicídio de Constance.
O simbolismo religioso por trás do Cloud Dog
O brinquedo revela a natureza de David e Constance dentro do simbolismo religioso do filme. Por trás da vida e da morte de David e Constance, há dois cordeiros que foram passivamente para a morte e aceitaram seus destinos com resignação. Os dois Cordeiros de Deus, ou expiadores dos pecados dos homens, como Cristo.
No dia seguinte viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus, eis aqui o que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)
E vendo a Jesus, que ia passando, disse: Eis ali o Cordeiro de Deus.” (João 1:36)
E olhei: e eis que o Cordeiro estava em pé sobre o monte Sião e com ele cento e quarenta e quatro mil, que tinham escrito sobre suas testas o nome dele, e o nome de seu Pai.” (Apocalipse 14:1)
Assim como Constance engolira a chave para sua liberdade, o cordeiro tem a chave de todo o mistério em seu interior. Dentro da caixa, Bitsey também encontra uma carta de Belyeu.
Sharon abre a maleta e descobre o cartão postal enviado por Berlin a David, que prova que o mártir não a havia estuprado. O cartão diz: ”Não pode imaginar como me sinto mal. Berlin, a estudante que era capaz de qualquer coisa”
Dusty assiste a uma ópera na Europa, onde a protagonista comete suicídio.
A Vida de David Gale é um drama/thriller norte-americano onde a nossa concepção de mundo é posta à prova e somos obrigados a refletir se as causas e ideologias que sempre defendemos são realmente as mais justas e humanitárias.
O filme apresenta um discurso panfletário contra a pena de morte, onde todos os elementos do debate nos levam a apenas uma conclusão: a pena de morte, como forma de punição contra crimes hediondos, é uma falácia que serve de instrumento de dominação de uma classe sobre a outra. Eis alguns dados sobre a pena capital:
Cerca de 90 países praticam a pena de morte.
Gastam-se cerca de dois milhões e meio de dólares para se executar uma pessoa, nos Estados Unidos.
Até 2000 trinta e cinco condenados com retardo mental foram executados, apesar do governo federal americano e doze estados proibirem isso.
Desde 1970, oitenta e sete americanos deixaram de ser executados por terem sidos comprovados erros em seus processos, e comprovada sua inocência pouco antes da execução. Da SILVA,Vandeler Ferreira. PENA DE MORTE NO BRASIL apud SUPERINTERESSANTE, 2001, p. 44. Disponível em: <http://www.infoescola.com/direito/pena-de-morte-no-brasil/> Acesso em: (05/11/2013)
Segundo um argumento presente dentro do enredo da película, negros e latinos são cinco vezes mais propensos à condenação pela pena capital do que homens brancos nos EUA.
Entre 1930 e 1996, 4220 prisioneiros foram executados nos Estados Unidos (mais da metade eram negros)”. Da SILVA,Vandeler Ferreira. PENA DE MORTE NO BRASIL apud SUPERINTERESSANTE, 2001, p. 44. Disponível em: <http://www.infoescola.com/direito/pena-de-morte-no-brasil/> Acesso em: (05/11/2013)
O que ocorreria ao sistema se um homem branco, bem sucedido, heterossexual e respeitado dentro da comunidade fosse condenado à injeção letal?
É esta hipótese que move toda a narrativa e nos faz questionar se devemos permanecer em nossa zona de conforto ou se devemos nos mobilizar e nos engajarmos para mudar o que está estabelecido, disfarçado como regra social, que na verdade é um sistema discriminatório.
Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos: 
Artigo III: 
Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.” 
Artigo V:
Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.” 
Alan Parker é considerado um diretor com exímio domínio da técnica cinematográfica. Vindo da publicidade, Parker pertence à escola de diretores autorais da década de 70 que ganharam visibilidade em seus países e depois migraram para Hollywood, renovando e influenciando a arte de realizar cinema no mundo. Infelizmente, o inglês não dirigiu mais nenhum filme após A Vida de David Gale, este soco no estômago dos conservadores de plantão. Se trata de um diretor com um fôlego que se renova a cada trabalho, com trabalhos bastante diversificados entre si, mas sempre deixando sua digital nas películas que realizou.
O diretor inglês Alan Parker foi também responsável por obras importantes como o terror Coração Satânico (Angel Heart) de 1987, o drama premiado com o Oscar de Melhor Trilha Sonora e Melhor Roteiro Adaptado O Expresso da Meia-Noite (Midnight Express) de 1978, o também drama premiado com Melhor Fotografia Mississippi em Chamas (Mississippi Burning) de 1988 e o musical psicodélico Pink Floyd - The Wall (idem) de 1982.
O orçamento de A Vida de David Gale foi de US$ 50 milhões.
Referências:
DIREITOS HUMANOS – PENA DE MORTE. MARTINS, Francisco. 25/10/2005. Disponível em:
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. Disponível em:
BÍBLIA SAGRADA. São Paulo. Livraria Editora Iracema LTDA. 1979
PENA DE MORTE NO BRASIL. DA SILVA, Vandeler Ferreira. Disponível em:
IMDB. Disponível em:
<http://www.imdb.com/title/tt0289992/> Acesso em 05/11/2013
BOX OFFICE MOJO.11/05/2013. Disponível em:



Por Roberto Eduardo

Um comentário:

Anônimo disse...

excelente,pois relata a verdade sobre a pena de morte que ocorre em varios paises